quinta-feira, 1 de maio de 2014

A PAZ É POSSÍVEL

A paz é possível, quando aprendemos a entrar em harmonia, com o coração sereno, o espírito em sintonia com a quietude, transcendendo os conflitos, para estabelecer um padrão de concórdia.
E quando isto não puder ser consumado, é melhor o silêncio e a ausência.
A paz que é fruto da auto-aceitação, dos desejos disciplinados, da capacidade da renúncia a tudo que não convém...
Quando essa paz de natureza interna se configura com o poder da atenção, já não importa ao certo se as expectativas tradicionais para se obter sucesso foram satisfeitas ou não.
O ser não deve ser guiado por um consenso de mentalidades pobres e pouco afeitas à sabedoria.
Deve ser guiado e influenciado principalmente pelo que preserva a paz, a aceitação, a concórdia, o respeito, a agilidade para se desviar de situações capazes de trazer perturbação ao espírito.
Há que se lembrar que o tempo de vida na Terra obedece ao imperativo da fatalidade, e portanto não viver com obsessão pelo sucesso, principalmente por saber que o verdadeiro sucesso na vida é alcançar maturidade para viver em paz ou saber que a todo momento havia um movimento interior para conquistar essa meta.
O que é circunstancial, o ato falho, o momento de desatenção, devem ser contabilizados como meros acidentes de percurso, a serem continuamente superados.

Nenhum comentário: